Notícias

Cinco meses após a formatura, Maria de Fátima, Patrícia e Lilian, graduadas em Psicologia na Fafijan, já estão atuando na área

Cinco meses após a formatura, Maria de Fátima, Patrícia e Lilian, graduadas em Psicologia na Fafijan, já estão atuando na área

Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho Visualizar galeria
Publicado em 31 | 05 | 2012 às 22:27

Na VI Semana de Psicologia, profissionais formadas na Fafijan dão relatos sobre o curso e sobre o ingresso no mercado de trabalho

Evento foi realizado nos dias 21, 22 e 23 de maio

Texto por: imprensa@fafijan.br | Fotos por: Assessoria de Imprensa Fafijan

O Anfiteatro da Fafijan (Faculdade de Jandaia do Sul) recebeu nos dias 21, 22 e 23 de maio, acadêmicos e profissionais para a VI Semana de Psicologia. Em 2012, além de palestras e debates, foi realizado o I Encontro de Egressos. Na abertura do evento, a diretora da Instituição, professora Maria Gertrudes Gonçalves de Sousa Guimarães, desejou aos participantes, bom aproveitamento em relação aos conteúdos abordados. “Que tragam bastante conhecimento e sejam úteis para a vida profissional de vocês”, disse ela. Ainda na primeira noite, a psicóloga Aline Pedrosa Fioravante, do Tribunal de Justiça do Paraná, apresentou o tema “O adolescente em conflito com a Lei”.
Aline descreveu o contexto em que vive a maioria desses menores de idade, que acaba cometendo atos infracionais. “É um histórico de vulnerabilidades, que inclui violações de direitos, violências física, psicológica, sexual, negligência, desigualdade social.” Segundo ela, é a partir dessa configuração que ele precisa ser olhado e avaliado, “porque o adolescente em conflito com a Lei não surge do nada; é resultado de todas as relações problemáticas que vai vivenciando na família, na escola, nas ruas, na ausência de políticas públicas”, destacou.
Para a psicóloga, é preciso identificar e potencializar os fatores de proteção e minimizar os fatores de risco que incidem sobre esses meninos e meninas. “A partir de uma cartografia que fazemos, analisando inclusive o passado deles, compomos um estudo multidisciplinar. Se notamos que o grupo de amigos é um fator de risco, logo teremos de pensar em outras formas de ele se relacionar com outros grupos; se detectamos um problema na família, como desemprego, buscamos auxílio em políticas públicas de fortalecimento”, explicou Aline. “Há todo um manejo a fim de ajudar esse adolescente a encontrar novas formas de prazer, de se sentir reconhecido, valorizado, de enxergar novas perspectivas de vida, que não seja a do crime. E a intervenção correta deve ser feita antes que esse adolescente morra precocemente ou vá parar, maior de idade, no sistema carcerário”, concluiu a palestrante.
No segundo dia do evento, a psicóloga e coordenadora de Saúde Mental de Apucarana, Angela Blanski, falou sobre “A Psicologia e a Saúde Pública”; assunto que foi complementado pela psicóloga e professora da Fafijan, Dayene Gatto. E o terceiro dia contou com a presença da psicóloga do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) de Londrina, Sara Gladys Toninato, que abordou o tema “O trabalho do psicólogo no SUAS – Sistema Único de Assistência Social”.

Encontro de egressos
Em 2011, formou-se na Fafijan (Faculdade de Jandaia do Sul) a primeira turma de Psicologia. Para saber como foi o ingresso desses profissionais no mercado de trabalho e para que eles pudessem compartilhar com os atuais acadêmicos do curso as experiências vividas nos anos de graduação, foi realizado no encerramento da VI Semana de Psicologia o I Encontro de Egressos. Foram convidadas para essa primeira edição: Maria de Fátima Santos Pontin, que hoje atua como psicóloga no Hospital Regional de Jandaia do Sul; Patrícia Cristiane Nogueira Cezar, que trabalha no Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) de São Pedro do Ivaí; e Lilian Fátima Gonçalves, concursada do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) de Godoy Moreira.
“No decorrer do curso, aprendi que para trabalhar com o ser humano é preciso gostar do ser humano. E que o psicólogo precisa mais que isso: precisa respeitar essa pessoa que chega até ele. Porque ele vai trabalhar com o que o ser humano tem de mais peculiar, que é a subjetividade, a história de vida e com o que lhe causa sofrimento”, aconselhou Maria de Fátima.
Para Patrícia, o contato com profissionais graduados em outras instituições tem mostrado a ela que a Fafijan ofereceu, de fato, uma ótima formação. “Sinto que a base teórica que tenho hoje me garante segurança para atuar.”
Lilian pediu a todos que aproveitem ao máximo o momento que estão vivenciando. "É único e depois que você se forma sente falta disso tudo. Valorizem as amizades, os professores, porque é com eles que você irá trocar experiências, tirar dúvidas, depois de formado.”
As três afirmaram que não sentiram dificuldades em ingressar no mercado de trabalho. “Houve até oportunidade que eu não pude aproveitar devido ao fato de não ter concluído a faculdade ainda”, comentou Lilian, que finalizou: “Estava muito ansiosa para começar a trabalhar e estou adorando essa nova fase”.
Após os relatos, a acadêmica do nono período de Psicologia da Fafijan, Simone Figueiredo, acompanhada do irmão, Fernando, nos teclados, presenteou os participantes cantando: “Como nossos pais” e “Por Enquanto”