Notícias

Natasha: “Marketing pessoal é uma estratégia individual para atrair e desenvolver contatos, relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e profissional”

Natasha: “Marketing pessoal é uma estratégia individual para atrair e desenvolver contatos, relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e profissional”

Publicado em 19 | 05 | 2011 às 13:38

Palestra sobre marketing pessoal e empreendedorismo dá início ao IV Ciestec

Evento segue até sexta-feira, dia 20, no Anfiteatro da Fafijan

Texto por: imprensa@fafijan.br | Fotos por: Assessoria de Imprensa Fafijan

Teve início nessa terça-feira, dia 17, a quarta edição do Ciestec (Ciclo de Estudos Tecnológicos), organizado pelo Colegiado de Gestão e Negócios da Fafijan (Faculdade de Jandaia do Sul). Na abertura solene do evento, estiveram presentes acadêmicos da casa, dos cursos de Gestão da Qualidade, Gestão de Cooperativas, Marketing, Administração, Ciências Contábeis e da pós-graduação; além de profissionais já formados, em busca de atualização e troca de experiências, e estudantes de outras instituições.
Convidada para proferir a primeira palestra do Ciclo, a administradora e consultora do Sebrae, Natasha Bacchi, abordou os temas: marketing pessoal e empreendedorismo. Ela iniciou desmistificando – o que muitos ainda acreditam ser verdade – que marketing pessoal é, simplesmente, saber se vestir. Manter um visual correspondente aos ambientes freqüentados, respeitando a personalidade da pessoa e a imagem que se pretende passar, segundo ela, contribui para o que, de fato, é o marketing pessoal. “É uma estratégia individual para atrair e desenvolver contatos, relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e profissional”, explicou a consultora.
Para Natasha, ser atraente em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e na vida particular exige, nesse sentido, ir além de uma aparência bonita e adequada. “Significa também dar visibilidade a características positivas, habilidades e competências que cada um possui; principalmente, aquelas relevantes na perspectiva da aceitação e reconhecimento por parte do outro”, destacou. “O que não significa padronizar comportamentos e estilos, afinal, cada um possui as suas particularidades e os seus objetivos. Nesse caso, é interessante prestar atenção no que os outros dizem a seu respeito, para melhorar os aspectos negativos e ressaltar as características positivas. Você está sendo visto da maneira como gostaria? A sua imagem precisa trabalhar a seu favor, de acordo com aquilo que você deseja passar e até mesmo de onde deseja chegar”, disse.
A palestrante pediu para que todos observassem, por um instante, alguns grupos formados no Anfiteatro. “Percebam que são as afinidades que aproximam os indivíduos uns dos outros. Sabendo que, a forma como me apresento e me comporto provoca a aproximação ou repulsa de determinadas pessoas é que irei repensar na minha imagem, nas impressões que tenho deixado e na rede de contatos que pretendo estabelecer. Somos um mix daquilo que falamos, de como nos gesticulamos, nos vestimos, das nossas atitudes e comportamentos. Pequenas diferenças que resultam no nosso sucesso ou fracasso”, ressaltou a especialista. “Lembrem-se sempre: temos apenas uma chance para causar uma boa primeira impressão. Não podemos desperdiçá-la.”
Natasha ainda comentou que é preciso desenvolver as dez características empreendedoras para se destacar no mercado de trabalho. São elas:

* Busca de oportunidade e iniciativa;
* Correr riscos calculados – ousadia;
* Exigência de qualidade e eficiência – criatividade;
* Persistência;
* Comprometimento;
* Busca de informações;
* Estabelecimento de metas;
* Planejamento;
* Persuasão e rede de contatos – liderança;
* Independência e autoconfiança.

“É o que hoje se espera de um bom profissional.” Para não ser apenas mais um diante da concorrência, a palestrante deu outras dicas aos estudantes, como: inovar – fazer a mesma coisa de forma diferente e com mais qualidade; fazer estágios na área; não se limitar aos conhecimentos repassados pelos professores – ir além, saber o que está ocorrendo na cidade, no estado, no país e no mundo; realizar trabalhos voluntários.
Ao final das explanações, a organização do evento deixou que os participantes fizessem questionamentos à especialista em marketing pessoal. Uma das perguntas feitas foi em relação à utilização dessa ferramenta na política. “É possível aplicar o marketing pessoal em qualquer segmento. Bons exemplos de como essa estratégia funciona são Dilma Rousseff e Lula, presidente e ex-presidente do Brasil. Como eles mudaram para melhor, não? Sem perder, contudo, a essência”, citou Natasha.