Notícias

Todo material utilizado para montar a Floresta do Futuro será destinado à cooperativa de lixo reciclável de Jandaia do Sul

Todo material utilizado para montar a Floresta do Futuro será destinado à cooperativa de lixo reciclável de Jandaia do Sul

Publicado em 05 | 10 | 2011 às 16:26

Oitavo período de Ciências Biológicas da Fafijan monta a Floresta do Futuro

Trabalho foi apresentado na sexta edição do Evento Multidisciplinar e levou muitos visitantes à reflexão

Texto por: imprensa@fafijan.br | Fotos por: Assessoria de Imprensa Fafijan

Ao entrar em uma sala escura, os visitantes foram recebidos por estudantes do oitavo período de Ciências Biológicas da Fafijan (Faculdade de Jandaia do Sul), que falaram sobre um meio ambiente natural, biodiverso e saudável. Nas paredes, pinturas de árvores, flores, sol. Sons de bichos, rios e vento foram colocados ao fundo, a fim de provocar sensações; de fazer a pessoa sentir-se em meio à natureza. Foi apresentado, então, um vídeo do Greenpeace que destacou ainda mais a beleza natural do planeta Terra – se devidamente preservado.
De olhos vendados todos foram convidados a passar para o outro lado do recinto, separado por placas de madeira. Retiradas as vendas, a surpresa. Ver de pertinho a floresta de um futuro anunciado, caso mudanças de pensamento e de atitude não forem tomadas às pressas. O que significa dizer: lixo, muito lixo por todos os lados.
Esse trabalho foi elaborado para a disciplina de Educação Ambiental, ministrada pela professora doutora Aniele Radzikoski Agner. O tema proposto foi reciclagem. "A princípio, a turma foi dividida em grupos, cada qual responsável por um tipo de material”, explica a docente. Nesse caso, eles bem poderiam falar sobre o tempo de degradação do plástico no meio ambiente ou sobre o processo de reciclagem do papel. Mas a aluna Suzamar Trentini teve uma idéia diferente. De unir todas as equipes e montar a Floresta do Futuro, tendo como intuito a conscientização.
“Todo mundo concordou e partimos para a construção dela. Durante duas semanas, juntamos em casa o lixo reciclável que produzimos. E, nesse ponto, vale ressaltar, nos assustamos com o volume de lixo que acumulamos em tão pouco tempo!”, conta Suzamar. Com o material reunido, iniciaram-se as produções. “Uma árvore de médio porte foi montada com dezenas de sacolinhas plásticas que foram guardadas de uma só compra”, lembra a aluna abismada com a quantidade. CDs, copos descartáveis, panfletos de lojas e de mercados, latinhas de refrigerante também se transformaram, nas mãos dos alunos, em “flores e animais do futuro”.
O objetivo da atividade, destaca o acadêmico Tiago Ferreira, foi de fazer algo impactante. “Queríamos que as pessoas parassem por alguns instantes e pensassem na forma como têm contribuído para a criação desse cenário catastrófico e em como mudar essa situação.” Aniele parabenizou a turma: “Estou até emocionada, porque eu propus uma coisa, vocês fizeram outra totalmente diferente, mas com tanta criatividade, que acabou chamando muito mais a atenção do público”, analisa a professora. “Tenho de confessar que mais uma vez vocês me surpreenderam.”